Núcleo de Atenção à Família

A família tem como função primordial desenvolver a sociabilidade, a afetividade e o bem estar físico dos seus integrantes principalmente durante a infância e a adolescência.  É na família que indivíduo vive suas primeiras experiências e adquire a consciência social que irá nortear suas decisões para o exercício pleno de sua cidadania.  Os conceitos, os valores e as convicções que são adquiridos nas relações familiares são determinantes para o processo de aceitação de si mesmo e do outro. 

Muitas famílias, ao se depararem com a deficiência em um dos seus membros,  se desestruturam e, nesse processo, não raro se auto avaliam ou são avaliadas como incapazes de cumprir o papel social que lhes foi atribuído.

Por diversos fatores, as famílias de pessoas com autismo costumam ter  um nível de participação menor na sociedade e vivenciam situações de discriminação e exclusão social. Ao mesmo tempo, não são raros os casos de exclusão de autistas dentro do seio da família, seja por falta de conhecimentos específicos sobre a  própria condição ou aos  aos direitos que lhes são garantidos.

A família precisa ser fortalecida para se reestruturar e apoiar o desenvolvimento do seu filho(a), através de ações de acolhimento em que toda a família seja respeitada e valorizada. O apoio mútuo entre as próprias famílias tem importância fundamental dentro desse processo. 

A Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência reconhece em seu preâmbulo que “a família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem o direito de receber a proteção da sociedade e do Estado e de que as pessoas com deficiência e seus familiares devem receber a proteção e a assistência necessárias para que as famílias possam contribuir para o pleno e igual desfrute dos direitos das pessoas com deficiência.”

Na Casa da Esperança o Núcleo de Atendimento à Família – NAF existe para dar apoio às famílias de pessoas com autismo e tem como objetivo favorecer o intercâmbio de informações entre a família e equipe terapêutica e educacional no intuito de potencializar os resultados das intervenções e prestar atendimento às famílias objetivando a inclusão e participação social.


Sônia Oliveira

Assistente Social

Diretora de Direitos Humanos e Inclusão


© Casa da Esperança 2012